Curta nossa Página

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Número de assassinatos em PE aumenta 44,4% nos primeiros cinco meses de 2017

Pernambuco contabiliza 2.495 pessoas assassinadas nos primeiros cinco meses de 2017. O número de vítimas de crimes violentos letais intencionais (CVLIs) aumentou 44,4% em relação ao mesmo período de 2016, quando houve 1.727 homicídios no estado. Além disso, o dado mais recente chama atenção por ultrapassar a metade dos 4.479 assassinatos registrados durante todo o ano anterior.

Os números foram divulgados pela Secretaria de Defesa Social (SDS) em coletiva de imprensa realizada na sede do órgão, na área central do Recife, nesta quarta-feira (14).

Apenas em maio deste ano, ocorreram em Pernambuco 457 assassinatos, o que equivale a uma média de 14,7 homicídios por dia. Esse número de pessoas assassinadas representa um aumento de 43,2% em relação ao mesmo mês no ano anterior, quando houve 319 mortes por esse tipo de crime.

Apesar desses acréscimos nos índices, o secretário estadual de Defesa Social, Angelo Gioia, afirmou, durante a coletiva, que “Pernambuco está sobre os trilhos” no enfrentamento à criminalidade. Em abril deste ano, foram 514 homicídios, acumulando 45% de aumento em relação ao número de assassinatos no mesmo mês em 2016.

“Estamos no caminho certo. Perdemos efetivo todos os dias por causa de aposentadorias, sem reposição, e podemos brindar três meses de redução, um em relação ao outro. Junho também deve ir na mesma tendência. Não comemoramos o ganho numérico, mas o ganho da boa prática”, disse o secretário referindo-se aos índices de março, abril e maio, que tiveram 549, 514 e 457 assassinatos, respectivamente.

Entre as principais motivações levantadas pela SDS para os homicídios no estado, em primeiro lugar está a guerra do tráfico em Pernambuco, que corresponde a 30% do total, com 135 assassinatos. Acertos de contas vêm na segunda posição, com 97 casos, que correspondem a 21%, seguidos de conflitos em comunidades, que equivalem a 15% do total de assassinatos, com 67 mortes.


Por Pedro Alves, G1 PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário