Curta nossa Página

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Gioia saiu porque não tinha mais o que fazer

O delegado federal Ângelo Gioia invocou “motivos pessoais” para solicitar exoneração da Secretaria de Defesa Social. O governador Paulo Câmara entendeu seus “motivos” e imediatamente convidou o corregedor da SDS, Antonio de Pádua, para substituí-lo. Gioia chegou a Pernambuco em outubro do ano passado, vindo do Rio de Janeiro, para substituir Alessandro Carvalho no comando da SDS. Não teve sorte em sua passagem pela pasta porque ela (passagem) coincidiu com um brutal aumento da criminalidade em Pernambuco em decorrência de vários fatores, entre eles a conjuntura econômica adversa e o cansaço do “Pacto pela Vida”. Tudo que ele pediu ao governador para colocar a segurança pública nos eixos foi concedido, mas ainda assim não teve sucesso. E, sem nada mais ter para fazer à frente da pasta, não lh e restou outra alternativa a não ser pedir para sair. E foi um que fez com dignidade. Ângelo Gioia foi responsável pelo “enquadramento” da Associação de Cabos e Soldados, que costumava “peitar” o secretário de Defesa Social e o próprio governador nas negociações salariais. Foi dele a decisão de abrir inquérito contra o presidente da entidade, Alberisson Carlos, que culminou com sua exclusão dos quadros da PM. O caso se encontra agora no TJ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário