Curta nossa Página

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Vizinha relata apelo de mãe que teve casa incendiada: 'Salve meus filhos'

Um dia depois da tragédia que deixou cinco pessoas da mesma família mortas em Feira de Santana, na quarta-feira (4), vizinhos que ajudaram a socorrer as vítimas de dentro da casa incendiada lembram o desespero da mãe, e da criança de três anos. Elas foram as únicas sobreviventes do crime, que de acordo com a polícia, foi cometido pelo pai de quatro das cinco vítimas.

"A criança falava 'socorro tia, não me deixa morrer, cadê a minhã mãe?'. E a mãe dizia: 'salve meus filhos, por favor, salve meus filhos'", conta Edilene de Jesus, uma vizinhas da família e que ajudou no socorro às vítimas.


Cristina de Jesus Moura, de 37 anos, sobrevivente do incêndio em que perdeu quatro filhos, e um neto, prestou depoimento à polícia no hospital e confirmou que o marido, Gilson Jesus Moura, de 49 anos, foi o responsável por colocar fogo na casa onde a família dormia. A polícia confirmou ainda que os dois viviam uma relação incestuosa, já que eram irmãos por parte de mãe.

"Ela confirmou que realmente foi ele que tocou fogo em toda família. Ela foi acordada e ele estava com um galão de gasolina, jogando sobre o corpo dela, e falando que iria tocar fogo em toda a família", conta o delegado Gustavo Coutinho, responsável pela investigação.

Depois do crime, o homem fugiu do local e segue sendo procurado pela polícia nesta quinta-feira (5). Após o depoimento da vítima, o delegado solicitou um mandado de prisão junto à Justiça. Continho informou ainda que na terça-feira (3), Gilson esteve na casa de uma vizinha e falou que cometeria uma tragédia e que se suicidaria em seguida. 

Uma outra testemunha informou para polícia que o Gilson havia se desentendido com Cristina, por ciúme, durante a festa de réveillon. Além da mulher de 37 anos, uma criança de quatro anos também foi resgatada com vida do local. De acordo com a polícia, as duas vítimas seguem internadas em estado grave. O galão utilizado no crime foi apreendido e encaminhado para perícia no Departamento de Polícia Téncica (DPT).
A polícia ouviu vizinhos do casal, que vivia junto há 15 anos. As testemunhas relataram que eles não costumavam brigar, e que o suspeito era um pai carinhoso. "Ele era uma pessoa muito boa para todos nós, inclusive para família e para ela. Ele falava sempre que amava ela", conta Roberto Santana, vizinhos da família.

No incêndio, morreram Thais de Jesus Moura, 13, Carlos de Jesus Moura, 9, e Xayane de Jesus Moura, 8, filhos de Gilson com Cristina. A enteada dele Emile de Jesus Moura, 16, e o filho dela, de 1 ano, também morreram. A adolescente estava grávida de cinco meses.

Do G1 BA

Nenhum comentário:

Postar um comentário