Curta nossa Página

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Cientistas descobrem que pinheiro na Grécia tem mais de mil anos

Uma parceria entre as universidades de Estocolmo, na Suécia,  Mainz, na Alemanha, e Arizona, nos Estados Unidos, encontrou um pinheiro milenar, com 1.075 anos de idade, no norte da Grécia. De acordo com os pesquisadores, a árvore da espécie Pinus heldreichii é a mais antiga da Europa.
“É impressionante que esse organismo grande e complexo tenha sobrevivido tanto tempo em um ambiente tão inóspito, em uma terra que foi civilizada há mais de 3.000 anos”, disse o estudioso sueco Paul J. Krusic, líder da expedição que descobriu a árvore. Ela está entre mais uma dúzia de árvores no alto das montanhas da região.
Considerando a idade da árvore e onde foi encontrada, os cientistas têm batizado o pinheiro milenar de “Adonis”, uma homenagem ao deus grego da beleza e do desejo.
“Há muitos anos atrás, li uma tese muito interessante sobre uma floresta na Grécia. Na nossa pesquisa, nós tentamos construir cronológicamente a histórias do clima, e encontrar árvores vivas era uma das nossas motivações. Para ver a idade da árvore, é necessário coletar o núcleo da madeira, de fora para dentro. Esse núcleo é de um metro e tem 1.075 anéis anuais”, completou Krusic.
Os pesquisadores esperam que, a partir dos anéis dos núcleos de árvores como esse pinheiro milenar, possam chegar a informações mais precisas sobre condições climáticas e ambientais de milhares de anos atrás. 
“Estou impressionado com o contexto da civilização ocidental e de toda a história humana que rodeou essa árvore. Todos os impérios, o Bizantino, Otomano, todas as pessoas que viveram nesta região. Muitas coisas poderiam ter levado à morte [da árvore]. Felizmente, essa floresta é basicamente intocada há mais de mil anos”, disse Krusic.
Do G1, em São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário