Curta nossa Página

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Falha humana acarretou a morte de Eduardo Campos, diz relatório do Cenipa

Por meio do tenente-coronel Raul de Barros, o Ministério da Aeronáutica apresentou nesta terça-feira (19), em Brasília, suas conclusões sobre o acidente aéreo que matou o então candidato a presidente da República, Eduardo Campos, e mais seis pessoas no dia 13 de agosto de 2014.

De acordo com o relatório, o acidente foi provocado por uma série de fatores, a saber: falta de treinamento dos pilotos para operar aquele tipo de aeronave, desorientação no ar em razão do mau tempo e descumprimento de regras de pouso em condições meteorológicas adversas.

Antes de apresentar o relatório à imprensa, o militar deu ciência de suas conclusões aos familiares do ex-governador. Eduardo Campos morreu no litoral paulista no 13 de agosto de 2014 após o avião que o transportava, um Cessna Citation modelo 560XLS, chocar-se com o solo. 

Também morreram o jornalista Carlos Percoal e o fotógrafo Alexandre Severo, que o acompanhavam, e mais quatro pessoas.De acordo com o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), a falta de conhecimento da aeronave, bem como o cansaço dos pilotos, contribuíram para o acidente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário