Curta nossa Página

sábado, 24 de outubro de 2015

Furacão Patricia cai a categoria 1 no México; fortes chuvas continuam

Do G1, em São Paulo
O furacão Patricia, que atingiu a costa oeste do México na sexta-feira (23), caiu para a categoria 1, com ventos de 120 km/h por volta de 6h30 de sábado (24), informou o Serviço Meterológico Nacional (SMN) do México. As fortes chuvas que atingem a região continuam, segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos. Os alertam permanecem.
O fenômeno chegou no estado de Jalisco na noite de sexta-feira (23), com ventos de até 270 km/h e começou a perder força horas depois de avançar pelo território mexicano. No início da madrugada de sábado (24), horário de Brasília, ele enfraqueceu e caiu para a categoria 4, com ventos de velocidade máxima estimada em 215 km/h, segundo comunicado da Comissão Nacional da Água.
Por volta de 4h da madrugada de sábado (24) horário de Brasília, o ciclone foi rebaixado a categoria 2, com ventos de velocidade máxima estimada em 155 km/h, informou o Serviço Meterológico Nacional (SMN).
Por volta das 2h de sábado (24), horário de Brasília, o presidente do México, Enrique Peña Nieto, fez um pronunciamento à nação e pediu que os moradores permanecessem em alerta, pois eles "ainda não sentiram os impactos do momento mais perigoso do furacão".
Segundo comunicado da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA, na sigla em inglês), o furacão atingiu as proximidades da cidade de Cuixmala, que fica a cerca de 85 km de Manzanillo.
Ao menos 6.333 pessoas estão desabrigadas e não há registro de mortes, informou no fim da noite de sexta-feira (23) o governador do estado de Jalisco, Aristóteles Sandoval, em sua conta no Twitter.
Em boletim divulgado na madrugada de sábado, o Serviço Meteorológico Nacional (SMN) do México relatou que Patricia seguirá se movimentando sobre a terra, atingindo as localidades de Talpa de Allende, Ayutla, Gallinero, Atengo e Mixtlán, no estado de Jalisco.
"Se prevê que (Patricia) siga como um furacão intenso pelo restante da noite, provocando chuvas de intensas a torrenciais, além de violentas rajadas de vento e ressaca marítima nos estados do Pacífico Central", advertiu o órgão.O sistema de baixa pressão se encontra a 30 km a sudeste de Talpa de Allende e a 75 km a sudeste de Puerto Vallarta, em Jalisco, e avança rumo ao norte-nordeste a 31 km/h.
De acordo com o boletim, o ciclone pode trazer chuvas intensas e torrenciais aos estados de Michoacán, Colima e Jalisco.
Também pode levar chuvas intensas a Durango, Nayari, Zacatecas, Aguascalientes, Guerrero e Guanajuato, assim como precipitações muito fortes em Coahuila, Nuevo León, e San Luis Potosí, e fortes em Tamaulipas e Sinaloa.
O órgão meteorológico alertou à população sobre a possibilidade de deslizamentos em áreas montanhosas e de inundações em zonas mais baixas. Além disso, recomendou à população em geral e à navegação marítima um aumento das precauções por causa das chuvas, do vento e da ressaca marítima, e orientou que as pessoas devem estar atentas às recomendações das autoridades do Serviço Nacional de Defesa Civil.
As previsões indicam que Patricia seguirá perdendo força e, amanhã, às 10h de Brasília (7h locais) se transformará em tempestade tropical e estará localizado a 50 km ao leste de Valparaíso, em Zacatecas, com ventos constantes de 110 km/h e rajadas de 140.

Nenhum comentário:

Postar um comentário